sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Momentos



Eu estava ali sentada na penumbra, naquele sofá onde me tinha enterrado. Cansada. Mal dormida. Absorta. Alheia à confusão que centenas de crianças e adolescentes espalhavam por ali, via através deles, nos meus devaneios.
De repente o meu olhar perdido, esbarra num outro olhar fixo em mim, ali mesmo à minha frente. Olhos enormes, escuros, luminosos. Menina de uns sete, oito anos, ar levemente exótico, talvez indiano, franzina, cabelo negro. Metida numa fila de meninos que esperam a sua vez para entrar.
Por momentos falámos, os nossos olhos cumprimentaram-se e as nossas almas tocaram-se e nasceu um sorriso espontâneo de quem se cumprimenta com genuina alegria.
Há olhos assim, que se cruzam com os nossos e onde nos sentimos em casa por segundos. Um dia perguntaram-me se os meus olhos eram bonitos e eu disse que sim, perguntaram-me porquê e eu respondi... Porque há muitos olhos que se prendem nos meus.

5 comentários:

Paulo T Pires disse...

é um belo "ponto de vista"...

Maresia disse...

Ainda bem que gosta...

Anónimo disse...

Este post está soberbo

Anónimo disse...

Este post está soberbo.
Maria Antonieta.

Maresia disse...

Antonieta

Também gosto muito! São aqueles momentos que o nosso íntimo capta fotograficamente em segundos, mas que deixam cá dentro rasto.