segunda-feira, 9 de março de 2009

Privilégios


Hoje o nevoeiro escorregou pelo vale, vindo dos lados da Batalha, tal qual como fosse água, e formou uma espécie de rio branco que cobriu a parte baixa da vila...Lindo! E eu de cima, do alto da minha encosta a ver... Tenho pena de não ter jeito para a fotografia, tenho que transmitir em palavras aquilo que uma imagem dizia muito melhor.

Quando observo estas maravilhas da natureza penso em quem é cego, em quem nunca viu e na sorte que tenho... Quem nunca viu, por muito que se lhe explique, não poderá fazer uma ideia...

Como os surdos com a música... Senti-la cá dentro, mover o corpo ao seu ritmo...

Valorizamos tão pouco o que somos e o que temos porque o tomamos como dado adquirido... Até ao dia em que...

Colocamos a fasquia da felicidade em grandes coisas, muitas vezes impossíveis, e esquecemo-nos de retirar felicidade e prazer das pequenas/grandes coisas que estão aí, ao nosso alcance, para as fruirmos... Se soubermos!


4 comentários:

pedro oliveira disse...

Boa semana a aproveitar o que de bom tem a vida e o que merece ser valorizado.

Maresia disse...

Pedro

Obrigada e igualmente!

prafrente disse...

Tive a alegria de assistir a algo muito semelhante do cimo da barragem hidroelétrica "Grande Dixence",situada a 2370 metros de altitude, no cantão do valais (Suiça).É de cortar a respiração...

Quanto aos cegos não poderei penetrar no centro das suas emoções interiores mas imagino que eles terão uma "compensação" sensorial que lhes permite alcançar sensações inacessives aos que têm uma visão normal.

Realmente colocamos a fasquia da "felicidade" em grandes coisas.Talvez esta crise socio económica que o país atravessa nos leve a baixar essa mesma fasquia aprendendo a dar valor ás coisas simples que antes nos passavam ao lado.

Boa semana...

Maresia disse...

prafrente

Se a crise tiver esse efeito positivo...
Boa semana para si também!