domingo, 2 de novembro de 2008

Passagem

segue a vida devagar
vejo-a passar quieta
e deixo a porta aberta
ao que me quer ensinar

vejo passar gente...
gente que entra e sai
gente que se detém
sou passagem e paragem
sou gente que me passou
sou gente que me ficou
sou aquela que riu e chorou

sou confluência, entroncamento
sou regozijo e lamento
sou sílaba que se quer soltar
mágoa oculta que me quer atar

carrego a minha bagagem
e vejo a vida passar...


quem sabe se vai parar...

4 comentários:

prafrente disse...

"quem sabe se vai parar..."
parar não vai...muda apenas de lugar...uma viagem prá outra margem...onde todas as limitações desaparecem...os sorrisos acontecem...e o amor existe...Pelo menos é isso que eu espero...mesmo que soe a ingenuidade...

uma boa semana

maré disse...

SOMOS...
o que passa

o que fica

SOMOS...
navegadores

a viagem

SOMOS
o princípio
as correntes

e ______

tantas vezes
a derradeira mágoa de todas as coisas.

.
obrigado

maré

legivel disse...

e vejo a vida passar
passa-me de trás p´rá frente
há gente sempre a andar
na vida cheia de gente.

nesta vida de passagem
sou mais um na multidão
e já tenho pouca margem
p´ra ir até ao Japão*.


* Não era bem assim que pretendia acabar a rima, mas a musa voltou-me as costas nesse preciso momento..

temporaria_mente insana disse...

maresia,

obrigada pela visita.


o teu espaço é mto lindo, é mais que certo... que ninguem sabe se vai parar... ninguem! Certo certo todos sabemos que um dia vai parar... alguem!