segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Desencontro

Vidas assim

desencontradas

em que

nunca

nada

parece certo

e se hoje

parece que sim

e o coração

está aberto

o amanhã

diz que não

e tudo parece incerto…




desencontro-me
em cada esquina
perco-me de vista
em cada colina
o longe perto
longe o certo
raios levem
a bolina!

3 comentários:

prafrente disse...

Raios levem a bolina...e tudo mais que desatina...raios levem também o pouco tempo que tenho e as frequencias com que não me amanho...
Mas raios não me partam porque eu quero viver...entre rosas e couves-flor...porque a beleza é subjectiva...tenha aspecto rugoso, ou pele lisa...
E por aqui me vou porque a escola me chama...

Continue...Um dia os manuais de Português incluirão o estudo de uma poetisa que vivia á sombra de um castelo, plantado na beleza da serrania envolvente.

Apache disse...

Vim retribuir a visita. Entretanto (como disse que não conhecia) deixei a música no final do poema, se quiser ouvir.

Gosto dos seus poemas.

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá Amiga, gostei da tua poesia... Parabéns!!!
Beijinhos de carinho,
Fernandinha