sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Alforria

Não gosto de imposições
Nem de teorias
Nem de bajulações

Não gosto de prisões
Nem de gaiolas
Nem de grandes salões
Nem de grandes figurões

Não gosto de filosofias
Nem de certezas
Nem de realezas
Não tenho fobias

Gosto de rir com gosto
Do sol no rosto
da praia marinha quando
é Agosto

Da lua na rua
Do quente do lar
de te sentir meu par
quando a palavra é nua

Gosto dos meus botões
quando rimam com as minhas solidões

E gosto do meu quintal
coisa só minha
feudo meu ser
onde sou rainha...



(publicado aqui pela segunda vez... Apeteceu-me)

10 comentários:

Geraldo Maia disse...

Olá Maresia,
Muito interessante o seu blog com os versos.
Cordialmente, do Brasil:
Geraldo

poetaeusou . . . disse...

*
os teu gostas,
são sabores,
desejados apetites,
no paladar do prazer,
sem aversões de mau gosto,
,
brisas coloridas, deixo,
,
*

Miguel disse...

Gostei...e ainda só vi o primeiro! ;)

Ana Tapadas disse...

Muito interessante. Ainda bem que publicaste uma segunda vez!

rui disse...

Não conhecia este blog e fiquei a gostar. Obrigado!

teresa disse...

Identifiquei-me com a poesia, embora me interesse por Filosofia:)

Bipede Implume disse...

Olá Maresia
Grata pela visita. Porque assim tive a oportunidade de conhecer este blog.
Gostei muito. Como ainda não o vi todo vou voltar de certeza.Grande abraço.

Carlos Ponte disse...

Bonito! E não estou a ser bajulador.
Um abraço cá de cima.

TRISTAN SANDOVAL disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cleopatra disse...

E apeteceu-lhe muito bem. Porque eu também gosto disso tudo incluindo o que escreveu! ;-)