terça-feira, 27 de janeiro de 2009

rasto




a luz da manhã
chegou assim
de mansinho

lá em baixo
vidas que se agitam
sonâmbulas
cumprindo rotinas

pouso os olhos no castelo
e lembro...

principes, fadas,
cavaleiros
finais felizes

outros olhares
outros momentos

guerras, mortes
desgostos


sou de pequenos nadas
e de sentires não passageiros
a vida deixa-me rasto...

3 comentários:

poetaeusou . . . disse...

*
no rasto das rotinas,
agitam-se os pequenos nadas,
,
conchinhas,
,
*

O Árabe disse...

Em todos nós, a vida deixa as suas marcas. Resta-nos, apenas, aprender com elas. :) Belos versos, boa semana!

antonio - o implume disse...

outros ventos, pequenos nadas, rasto... passei por aqui e levei comigo um pouco dos teus principes, fadas, cavaleiros e finais felizes. Obrigado.