quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Cansaço

cai-me o último alento
vejo de dentro a noite
apetecem-me os seus mistérios...


que me lavem a alma
que me levem os cansaços
que feitos mar de sargaços
se enrodilham em mim


imersa no teu negrume
voarei mundos sem fim.

4 comentários:

Ferreira-Pinto disse...

Que o cansaço não impeça, de facto, esse voo mundo fora!

Em nome da equipa do NOTAS SOLTAS, IDEIAS TONTAS gostaria de agradecer a sua visita.
Volte sempre.

Pequito Romero disse...

Andei por aqui e não desgostei do que li.
Posso mesmo dizer que está catita!
VADIO & SEM TINO

prafrente disse...

voe em todas as noites pelos mundos sem fim.Pode até sentir que os cansaços, feitos mar de sargaços, se se enrodilhem em si...MAS nunca, por nunca mais deixe cair o ÚLTIMO alento...nem mesmo em forma poética...

Veja...já consigo atar os sapatos

OLHAR VAGABUNDO disse...

beijo vagabundo...