quinta-feira, 19 de julho de 2007

Fim de tarde...

Gosto muito do fim de tarde... Aquele período em que não é noite nem é dia. Especialmente se estiver numa grande cidade, gosto de me sentar num sítio e observar as pessoas nas suas correrias, imaginá-las: para onde vão, as suas histórias, as suas tristezas, as suas alegrias, os seus dramas. E sinto uma enorme paz interior que resulta da partilha com todos os que vejo de algo que não sei muito bem o que é... Talvez a percepção que no essencial somos todos muito iguais, apesar das máscaras que temos que usar. Chegados ao fim todos precisamos de um porto de abrigo... uma casa, uma família, um peito, um livro, um gato, um abraço, uma palavra e é para lá que corremos, que nos apressamos.
Neste fim de tarde de Verão, um pouco fresco, olho pela janela, vejo o mundo lá fora que corre. Estou no meu porto... acompanha-me a palavra.

2 comentários:

Scorpion Art disse...

Há uns dias atrás, uma amiga fez-me a seguinte pergunta: Dois bombeiros vão apagar um fogo, no final um está com a cara toda suja e o outro está limpo. Qual dos dois se vai lavar? O que está limpo!! Porque´ele vê o outro e pensa que está igual!!!
Isto para ilustrar este post, nós observamos os outros e eles são o nosso espelho. Gosto muito de observar as pessoas em todo o lado, no metro, nas filas de trânsito, etc.!!!

deixas_em_mim disse...

Também eu gosto do fim de tarde, do inicio da mesma, do nascer do dia, e especialmente da noite, gosto da correria do dia-a-dia, e de ser observada, por pessoas como tu...
Para onde irão as minhas alegrias, tristezas, dramas e histórias?!? Acompanham-me, pura e simplesmente, algumas partilhadas com os observadores, outras, guardadas, bem no fundo do meu ser...
Porto de abrigo...Não será a maioria, uns sem (porto de) abrigo?
beijito :)