sábado, 15 de setembro de 2007

Pancada!

Bem... Tanto tempo sem escrever e agora que recomecei apetece-me mais! É como se as palavras e os sentimentos se tivessem acumulado todo este tempo e agora queiram sair...
Escrevi no meu texto de apresentação neste blog que gosto de gente... E gosto mesmo. Agora apeteceu-me agradecer a todas aquelas pessoas que... me enriquecem, me incentivam, me estimulam... Ou que me puxam as orelhas, quando preciso!Tenho muita sorte de os ter na minha vida... Vocês sabem quem são. Bem hajam!

3 comentários:

deixas_em_mim disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
deixas_em_mim disse...

Estou estupefacta, puxam-lhe as orelas e ela diz: bem hajam...rsrsrsrs

Existem amigos, que vão ficando para trás.
E tomarmos consciência disso é muito triste.
O que leva um amigo a afastar-se? Este pergunta levanta outras tantas, para as quais buscamos respostas.
O que nos leva a chamar alguém de amigo?
Afinal, terá sido esta pessoa merecedora do que de melhor trazemos em nós?
Será?
Até que chegamos à conclusão, que esse amigo, afinal estava de passagem.
Não gostou da estadia no nosso coração, nem gostou da paisagem que o mesmo lhe oferecia.
Arrumou malas, e fez-se à vida, como tantas outras pessoas que por nós passam, e esquecem.
No fundo, seremos uma comparação triste de uma estação.
Ou mesmo de um apeadeiro, onde por vezes ninguém quer sequer parar.
Isto é tão triste.
Este sentimento de que, algo que supostamente parecia de betão firme, afinal, tinha alicerces de barro, que se desfizeram, mal caíram as primeiras chuvas.
Que triste uma amizade desfeita.
E ainda mais triste é, aquele primeiro olhar, que não existiu, depois de uma já distante despedida, tão fria, tão penalizante para ambos, como se nada tivesse passado.
Como é que as pessoas conseguem lidar com isto?
É preferível o comboio andar sempre.
Não parar para não ferir momentos passados, que mesmo passageiros, estão lá, bem guardados na nossa estação.
Agora, esses momentos são peça de museu empoeirada.
Mas não deixam de fazer um pedacinho de história.
O que vale, é que na nossa estação, não falta movimento.
Só falta saber quem vai e quem fica...
E Tu...ficaste...
Bem hajas...também tu, não deixes de ser quem és...
Aquele abraço :o)

poetamador disse...

em vez de partir, cada vez fico mais, não quero sair, quero ficar a mais