quinta-feira, 21 de junho de 2007

Morte

Às vezes a morte passa-nos perto, sentimos o seu bafo... Arrepiamo-nos, pensamos que ela anda sempre por perto, embora não nos lembremos dela, embora ela seja a única coisa certa que temos ao nascer.
No trajecto diário um acidente. Um morto. O determinante está mal utilizado. Não é um morto indefinido. É uma jovem, a Liliana. Conheço-a desde pequena, conheço os pais, os avós.Hoje a tragédia caiu em casa alheia, mas foi suficientemente perto para pensar se tivesse sido na minha. Para pensar que aqueles pais hoje, ao deitarem já não terão a sua menina, nem no próximo Natal...
"Apressa-te a viver bem e pensa que cada dia é, por si só, uma vida." Séneca

3 comentários:

Miguel disse...

"...A certeza de sentir, confirma a necessidade da existência.
O que a vida nos dá, o que nós sentimos da vida, nem sempre nos dá o prazer procurado.
A morte é o definitivo vazio, não sentimos a sua presença, mas sentimos a dor do vazio que deixa.
Com o prazer de viver vamos preenchendo o vazio até que a nossa ausência crie o vazio em alguém.
O vazio que criamos está directamente ligado ao preenchimento da nossa vida.
A dimensão do nosso vazio é expressão do preenchimento realizado na vida dos outros...."

Um beijo

Falco disse...

No ocidente, a maioria das pessoas não aceitam a própria morte porque não aceitaram as suas vidas. (Alison Wearing-Lua-de-Mel no Irão)
A própria morte não nos cria nenhum vazio. Quanto muito pena de não ter vivido um pouco mais, se é adivinhada para breve.
Mais dolorosa é a morte de alguém que conhecemos, mas se encararmos como o luto branco da Índia - uma ausência destinada a ser completada - torna-se mais suportável.
A vida não pára com a morte de ninguém.

deixas_em_mim disse...

A morte não é um teclado de sombras que pudéssemos tocar para um adeus definitivo; embora pressentida em cada passo, não se anuncia, e confunde-se com o tumulto alheio do universo.
Sentimos o seu bafo gélido...
Será que ela nos segura na nossa frágil existência, e contra ela vivemos, embora morrendo?

Aproveito, uma vez mais, para te relembrar o seguinte pensamento: «Apressa-te a viver bem, e pensa que cada dia é, por si só, uma vida.»
"Séneca"

Beijocas :o)